fbpx

Matriz de Risco: O que é? Como elaborar para sua empresa?

Durante o ‘tempo de vida’ de uma empresa, ocorrem inúmeras situações e mudanças de cenários, as quais podem ocasionar em adaptações de processos ou problemas mais críticos ao negócio. E para lidar com essas inconsistências, é necessário estar preparado para tomar decisões assertivas em cada caso, pois uma decisão errada, pode acarretar em diversos prejuízos.

Porém, pior do que cometer erros ou tomar decisões equivocadas, é não organizar as questões gerenciais da empresa, de forma preventiva, para que os mesmos erros não se repitam. Por isso, no artigo de hoje, vamos falar sobre uma metodologia chamada Matriz de Risco, a qual é capaz de garantir o sucesso da gestão de sua empresa.

O que é Matriz de Risco?

É uma ferramenta de gerenciamento de riscos, onde a empresa pode identificar todos os riscos existentes em suas atividades, inclusive o grau de cada um e as possíveis consequências para os negócios.

Assim, uma vez identificado seu risco e seu respectivo potencial ofensivo para a empresa, fica mais fácil elaborar ações corretivas e planos de ações hábeis a coibi-lo. Isso porque, é cientificamente comprovado que antecipar e prever a existência de um problema auxilia na criação de medidas para resolvê-lo.

Portanto, a Matriz de Risco faz parte da gestão operacional preventiva da empresa e, é através dela que se torna possível a preparação da empresa para algo ruim que não pode ser evitado ou que possa impactar negativamente em seus lucros e resultados.

Como elaborar uma Matriz de Risco?

Primeiramente, para a elaboração de uma Matriz de Risco mais eficiente, é necessário determinar o grau de ameaça de cada risco, utilizando-se dois critérios: Probabilidade e Impacto.

1. Probabilidade

Neste critério é preciso haver questionamentos como: qual a probabilidade deste risco se concretizar?

E a partir deste questionamento, deve ser feita a seguinte seleção:

– Probabilidade ALTA: riscos com mais de 50% de chance de ocorrerem, ou ainda aqueles que ocorrem com maior frequência

– Probabilidade MÉDIA: riscos com mais de 10% e menos de 50% de chance de ocorrerem, ou ainda que já ocorreu, mas com uma frequência muito baixa

– Probabilidade BAIXA: riscos com menos de 10% de chance de ocorrerem, e que possuem probabilidade improvável de ocorrer.

2. Impacto

Neste critério, é necessário que seja questionado o seguinte: se o risco vier a se concretizar, qual o tamanho de seu impacto para os negócios da empresa? A partir desta resposta, encaixar os riscos nos seguintes níveis:

– ALTO impacto: risco que, caso concretizado, demandaria altos valores para ser eliminado; ou causaria grave lesão irreversível à saúde do trabalhador; ou geraria grande interrupção nas atividades da empresa.

– MÉDIO Impacto: risco que, caso concretizado, demandaria médio custo para ser eliminado; ou causaria lesões à saúde do trabalhador, passível de cura por atendimento médico; ou ainda que causaria considerável interrupção nas atividades da empresa.

– BAIXO impacto: risco que, se caso concretizado, demanda baixo custo para ser eliminado; ou causaria nenhuma lesão ou lesão insignificante no trabalhador; ou ainda que acarretasse pequena ou nenhuma pausa nas atividades da empresa.

Veja também: Gestão de risco visando a melhoria contínua

Os níveis de impacto e probabilidade acima mencionados, representam níveis básicos que podem ser utilizados dentro de uma Matriz de Risco.

No entanto, algumas empresas, em razão de seu tamanho ou da complexidade de suas atividades, adotam métodos mais específicos na elaboração de sua Matriz e chegam a criar impactos/probabilidades leves, médias, graves e gravíssimas.

No segundo momento, uma vez estabelecidos os critérios e graus de impacto e probabilidade, é chegada a hora de inserir cada risco dentro do nível pertinente.

Parece uma tarefa fácil, mas não é. A atribuição de riscos a cada grau de ameaça deve ser feita com cuidado e sempre acompanhada pelo gestor do setor avaliado, pois, em tese, ele é a pessoa que mais tem conhecimento daquela área da empresa.

Como implantar uma Matriz de Riscos na empresa?

  1. Mapeie os riscos existentes em cada setor da empresa: faça o levantamento de todos os riscos presentes no ambiente de trabalho. Para que este trabalho fique completo, conte com a ajude de profissionais como Engenheiros ou técnicos do trabalho, ou ainda com a ajuda dos próprios empregados que vivenciam a realidade do setor diariamente e conseguem visualizar eventuais riscos existentes;
  2. Avalie as normas legais aplicáveis às suas atividades: é de indispensável importância que seja feito um levantamento de todas as normas aplicáveis às atividades da empresa, a fim de que seja constatado o atendimento. Isso porque, uma norma não atendida já pode significar um risco para empresa, o qual deve ser documentado na Matriz de Riscos;
  3. Escolha alguém que conheça a empresa para realizar o levantamento de riscos: é indispensável que a pessoa que elabore a Matriz de Riscos conheça totalmente ou pelo menos grande parte da empresa. Isso porque, conhecer bem cada setor traz maior precisão à elaboração do levantamento.
  4. Construa a Matriz e classifique os riscos de acordo com sua gravidade: depois de levantados todos os riscos, insira-os na Matriz de Riscos criada, de acordo com seu grau de ameaça aos negócios da empresa.

Quais os benefícios da Matriz de Risco para os seus negócios?

Sabe-se que uma empresa sobrevive muito bem sem elaborar uma Matriz de Riscos.

No entanto, ter este “coringa” no gerenciamento de seus negócios, coloca sua empresa um passo a frente das demais, pelos seguintes motivos:

  • Identificar riscos de maneira prévia, ajuda a empresa a implantar Planos de Ação hábeis a coibir esses riscos;
  • Minimizar riscos, poupa a empresa de ter gastos financeiros altos utilizados para correção dos problemas, caso esses riscos fossem concretizados;
  • Ter uma Matriz de Riscos demonstra que a empresa é gerencialmente organizada e se preocupa com seus trabalhadores e clientes, o que transmite uma imagem socialmente responsável ao mercado econômico.

Gestão de Requisitos legais e Gerenciamento de Riscos

Conforme foi visto, uma empresa que adota a Matriz de Riscos está um passo a frente da concorrência, pois demonstra-se preocupada não só com seus negócios, mas também com seus colaboradores e com o meio ambiente, duas coisas que podem ser poupadas quando se previne riscos empresariais.

Portanto, verifique as prioridades de seu negócio, avalie as possibilidades sobre a elaboração de uma Matriz de Riscos e busque garantir a aderência em a determinações obrigatórias, isto é, é importante mapear as implicações obrigatórias em lei.

Para te ajudar a evitar alguns destes riscos e ter uma gestão dos requisitos legais com maior segurança e confiabilidade., conheça o Amblegis! Uma ferramenta online direcionada a auxiliar sua empresa na gestão dos critérios e normas regulamentadoras dentro das áreas de meio ambiente, saúde e segurança do trabalho, qualidade, segurança alimentar, entre outras.

Clique aqui e solicite uma demonstração gratuita, para conhecer nossa ferramenta e serviços.

 

Compartilhar
Rafaela Feriani

Advogada, pós graduada em Auditoria e Perícia Ambiental. Atualmente é Supervisora do Setor Jurídico da empresa Ambplan, e é responsável por gerenciar a baixa e análise de legislações a serem inseridas no sistema AmbLegis, nas áreas de meio ambiente, saúde e segurança do trabalho, responsabilidade social, qualidade, dentre outras.

Deixe seu comentário

Inscreva-se em nossa newsletter!

Receba por e-mail novos conteúdos sobre Requisitos Legais, Segurança do Trabalho, Meio Ambiente e Responsabilidade Social.