Atender às leis gera lucro ou prejuízo para sua empresa?

Como já falamos em outros artigos, as legislações nascem com a finalidade de proteção, independente de qual área ela vai legislar. Muitas vezes estas possuem o caráter meramente informativo e, às vezes, também repressivo.

De forma geral, a lei tem cumprido seu papel no que tange às responsabilidades que os negócios devem cumprir. Seja na saúde e segurança do trabalho, na segurança alimentar, no cuidado e preservação do meio ambiente ou em outras áreas.

Assim, nesse artigo vamos falar um pouco sobre as consequências de não atender as legislações. Afinal, qual é o prejuízo ocasionado pelo investimento não realizado?

Ignorar as diferentes categorias de investimentos pode significar um prejuízo certo para sua empresa

Isso porque entendemos que uma empresa é composta por “muitos componentes”. Administrar e gerenciar uma empresa demanda muita responsabilidade e investimento.

Entre as responsabilidades, está o levantamento face as legislações existentes, os custos necessários para manter a empresa viva, os benefícios que ela está gerando, e muitas outras informações complexas. Ou seja, a gestão de uma empresa deve estar preparada para a burocracia.

Partindo dessa análise, vamos compreender um pouco mais sobre o ativo e o passivo que compõe o poder aquisitivo da empresa. O poder econômico e o que a faz permanecer no mercado.

O ativo e o passivo de uma empresa

O ativo pode ser considerado como as medidas que a empresa toma para contribuir com seu poder aquisitivo. É como o dinheiro entra e como ele vai ser aplicado e multiplicado cada vez mais.

Vejamos alguns exemplos: títulos financeiros, ações, imóveis para especulação imobiliária (valorização do patrimônio) ou aluguel, mercadorias, direitos autorais, patentes, pesquisa científica ou tecnológica, etc.

Já o passivo é um investimento que ao primeiro momento diminui o poder aquisitivo, ou seja, diminui o que o ativo conquistou. O passivo faz parte de um conjunto de obrigações que a empresa deve cumprir.

Como são obrigações, a falta do atendimento a essas demandas coativas, podem gerar prejuízos grandes, inclusive ocasionando a falência da empresa.

Alguns exemplos de passivos são: obrigações financeiras, contas a pagar, impostos, infraestrutura, hipoteca, aluguel, transporte, funcionários, etc.

Quais são as consequências pelo não cumprimento das leis?

Muitas vezes, para que uma lei seja cumprida, é necessário tirar dinheiro do caixa.

Por exemplo: Para aplicar as normas de segurança do trabalhador, as Normas Regulamentadoras – NRs, é necessário investir em equipamentos de segurança, estruturas de controle, maquinários de qualidade, cursos, capacitações, compras de materiais, etc.

Sabemos que tudo isso demanda um custo, certo?

Powered by Rock Convert

Contudo, muitos empresários ou gestores, com intuito apenas de lucrar, acabam deixando de promover o cumprimento dessas leis. Porém o resultado desse descumprimento acaba gerando grandes prejuízos, um exemplo são as indenizações pagas para colaboradores que tiveram seus membros decapitados, além dos danos psicológicos dos envolvidos.

As consequências podem vir de variadas formas, dependendo do seu ramo empresarial. Como exemplo, podemos citar:

  • Multas aplicadas pelo ministério do trabalho;
  • Embargo da obra ou interdição do estabelecimento;
  • Pagamentos de adicionais de insalubridade e periculosidade;
  • Processos indenizatórios;
  • Despesas com tratamentos médicos;
  • Pensões vitalícias em caso de morte de trabalhadores.

Será que isso risco compensa? Como fica a imagem da empresa perante a esses acontecimentos? Como diz o ditado: “é melhor prevenir do que remediar”. Neste ponto, a solução é ter uma boa estrutura e atendimento às legislações vigentes, criação de planos de ação para atendimento e adequação ao requisito legal.

Consegue perceber a importância de atender às legislações?

Para as empresas que desempenham suas atividades utilizando os recursos naturais, devem ficar ainda mais atentas, pois tudo que envolve o meio ambiente, possui grande valor, tendo em vista tratar-se de um direito reservado a toda a humanidade.

Desta forma, se sua empresa está ligada ao ramo ambiental, invista em todos os recursos necessários para manter a preservação do meio ambiente, pois o passivo ambiental demanda um custo elevadíssimo.

Ciente a tudo isso, é importante seguir e acatar as leis criadas para a proteção e crescimento do negócio empresarial.

Conclusão

Logo que a sociedade cresce e desenvolve, são criados meios de organização para que a mesma não se perca em meio ao caos que pode ser instalado através da coletividade sem lei.

A criação de mentes pensantes parte da prevenção das coisas, sejam elas materiais ou não. Tudo que é feito precisa ser profundamente estudado, avaliado e ter o foco que o bem comum deve ser priorizado.

As empresas que optam por certificações colocam-se acima da média, pois demonstram preocupação em atender a padrões nacionais e/ou internacionais, além de apresentarem a sociedade de que estão de olho no que é o melhor para todos.

Entenda que não é plausível estar com o caixa da empresa transbordando de dinheiro, enquanto que as normas estão todas descumpridas, pois uma hora ou outra, tudo pode vir à tona e esse dinheiro escoará como água para conter os prejuízos.

Não espere pelo dia em que o caixa de sua empresa será quebrado pela falta de cumprimento legal.

Mas sua empresa realmente conhece todas às leis que deve cumprir?

Se você deseja ter certeza que sua empresa cumpre com todas as leis aplicáveis ao negócio, conheça o AmbLegis. O software de gestão requisitos legais atua em nas áreas de meio ambiente, saúde e segurança do trabalho, responsabilidade social, segurança alimentar, marítima entre outros.

Solicite agora uma demonstração grátis do AmbLegis para sua empresa e esteja certo do cumprimento das leis, evitando assim prejuízos futuros.

Compartilhar

Deixe seu comentário

Inscreva-se em nossa newsletter!

Receba por e-mail novos conteúdos sobre Requisitos Legais, Segurança do Trabalho, Meio Ambiente e Responsabilidade Social.